UMA VOZ LÚCIDA NA ULTRAESQUERDA


apresenta uma voz lúcida entre os que comungam com o espectro da ultraesquerda brasileira.

O golpe é contra todos nós


Nessa sexta-feira, 4 de março, Lula foi preso. Diante das manifestações espontâneas contra sua prisão, ele foi liberado, o que de outro modo provavelmente não aconteceria, uma vez que a Lava Jato tem se notabilizado pelas prisões arbitrárias, por suspeita, muitas vezes feitas com o objetivo de arrancar confissões do prisioneiro.
A prisão de Lula foi o tiro de largada do golpe e não sua conclusão. Embora Dilma, Lula e o PT sejam o alvo primeiro dos golpistas, o golpe tem objetivos muito mais profundos.
É preciso derrubar o governo do PT para que o imperialismo continue controlando completamente o País e impor sua política de terra arrasada.
Para isso, não basta o impeachment. É preciso acabar com Lula, candidato natural a 2018 e líder popular capaz de fazer outros sucessores. É preciso acabar com o PT, pois de outro modo o golpe voltaria à estaca zero.
Para realizar tudo isso, é preciso mudar o regime político e, ao que tudo indica, abrir o jogo e mostrar que é de fato um golpe que está em marcha e instituir uma ditadura aberta se necessário.
Se a direita, a serviço do imperialismo, montou uma imensa operação e quer colocar em prática um plano dessa envergadura, ela tem motivos muito prementes, que vão muito além do alvo inicial.
O PT, não obstante sua política de conciliação, é um obstáculo aos planos imperialistas, em razão da sua influência entre a classe operária e a pressão que essa última exerce sobre o partido.
Esse fato impede que o PT seja uma expressão acabada e direta dos interesses imperialistas no País.
O regime capitalista de conjunto se encontra hoje em uma situação bastante crítica. A polarização das eleições norte-americanas, bem como o crescimento da extrema-direita em vários países europeus são alguns dos sintomas dessa crise.
A saída do imperialismo é despejar a crise nos países atrasados, que ela domina. Daí que esteja havendo uma nova onda de golpes de Estado, que já atingiu países como Ucrânia, Egito, Tailândia, Honduras, entre outros.
O objetivo do golpe é arrancar tudo o que o imperialismo puder para conter sua própria crise. Acabar com todas as garantias trabalhistas, como defendeu o ministro do Tribunal Superior do Trabalho; acabar de vez com os serviços públicos à população; privatizar o que há para ser privatizado; doar todas as riquezas brasileiras às potências estrangeiras. Tudo isso só pode ocorrer com um governo capacho do imperialismo que imponha tais medidas pela força bruta. Por isso, não só o PT sofreria com o golpe, mas toda a esquerda e toda a população, que teria seus direitos suprimidos para possibilitar a implementação desse plano de roubo do povo.
Esse é objetivo do golpe. Ele não é contra Lula, Dilma ou o PT: o golpe é contra toda a população brasileira.

CARTA ABERTA AO SENADOR WALTER PINHEIRO

Com um misto de indignação, perplexidade e decepção fui informado na quarta-feira 24/02/2016 de que Vossa Excelência se ausentou da votação do Projeto de Lei (PL) 131/2015, do senador tucano José Serra (PSDB-SP), que abre às multinacionais estrangeiras a possibilidade de explorar o pré-sal.
Caro senador, Martin Luther King ensinou ao mundo que : "A covardia coloca a questão: é seguro? O comodismo coloca a questão: é popular? A consciência coloca a questão: é correto? Enfim, chega um momento em que temos que tomar uma decisão que não é segura, que não é elegante e que não é popular. Temos de fazer porque a nossa consciência nos diz que essa é a atitude correta." Com a sua atitude de avestruz me pergunto, o que está na sua consciência?
Acompanho sua trajetória desde o movimento sindical dos telefônicos. Fomos membros da Direção Nacional da CUT. Acompanhei sua atuação à frente da FITTEL (Federação Interestadual dos Trabalhadores TELefônicos) na luta contra a privatização do setor de telecomunicações e da entrega dos setores estratégicos do país às multinacionais. Sei que isto é pauta dos anos 80 e 90 do século passado, mas foi onde o senhor construiu parte da sua história e da sua trajetória política, bem como suas idéias sobre o desenvolvimentismo para o país, para o Nordeste e para a Bahia em particular. Daí estar desabafando.
Do vampiro José Serra, do playboy Aécio Neves e do oligarca petista Jorge Viana nada esperava. Eles não tem a trajetória construída na esquerda brasileira nos últimos 50 anos, onde a soberania nacional, a independência do país, a alternativa do desenvolvimento soberano e sustentável rumo a uma sociedade igualitária conformaram os pilares do pensamento de toda uma geração de brasileiros.
Mas hoje os tempos são outros né senador?  São tempos de pragmatismo, onde impera a máxima do " QUANDO NÃO SE PODE VENCER, É MELHOR ADERIR", assim pensou o governo DILMA ROUSSEFF ao se aliar ao PSDB e atirar no lixo aquilo que defendeu na campanha eleitoral de 2014. Assim vai afastar de vez o impeachment, aplicando o programa neoliberal defendido por Aécio e entregando o PT aos leões da máfia que é o judiciário corrupto brasileiro, vendedor de sentenças.
Mas os entreguistas tem posição, são capachos das multinacionais, o governo Dilma já traiu os trabalhadores e está claro isso, mas e o senhor, qual a sua posição?
Encerro esta mensagem com um pensamento do baiano Rui Barbosa, que integra a História do Brasil:
"Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado !"
Que vergonha senador!

José Geraldo Saraiva Pinto
Geólogo, petista, ex-dirigente sindical petroleiro, foi presidente do PT-RN, pai da Ana Paula, companheiro da Aparecida, botafoguense, abecedista, barcelonista, mestre em Gestão de Empresas, gente que  não foge à luta, que tem lado e é madeira que cupim não rói.

24M: VITÓRIA DA ESQUERDA NA ESPANHA

24M: VITÓRIA DA ESQUERDA NA ESPANHA

    



   Um “Terremoto político na Espanha”, assim o principal jornal francês, o Le Monde noticia em suas páginas o resultado das eleições municipais desse domingo 24 de maio de 2015 na terra de Miguel de Cervantes. O grande derrotado foi o primeiro-ministro Mariano Rajoy e seu Partido Popular (PP) da direita neoliberal e principal gerente dos planos antipopulares da troika - Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

     Também o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) saiu derrotado pois junto com o PP viu desaparecer 3 milhões de votos da votação do pleito passado. Este deslocamento se deu para as novas agremiações políticas: “AHORA PODEMOS” e “CIUDADANOS”, com um programa anti-ajuste econômico, contra a corrupção e de democracia participativa.
     As eleições desse 24M parecem inaugurar uma nova era na política europeia. Algo como o surrealismo catalão de Salvador Dali e Juan Miró ou o cubismo de Pablo Picasso, que nascido em Málaga teve sua maior expressão em Barcelona. Quiçá esta vitória signifique a revolução do tic-tac no futebol da copa de 2010 com Iniesta, Xavi, Xabi Alonso e Davi Villa, ou o Barça de Guardiola que sob o comando de Messi e a raça de Carlos Puyol maravilhou o mundo do futebol.
O certo é que estamos diante de um fato novo no país que tem o sexto PIB da Europa e uma influência sócio-política-cultural que ultrapassa o Atlântico e o Mediterrâneo. A vitória da esquerda certamente influenciará a América Espanhola e porque não a “América Ibérica”? 
origem dos dois maiores agrupamentos recém-criados (PODEMOS e CIUDADANOS) é no movimento 15M, o movimento dos Indignados, um movimento de cidadãos formado em 15 de maio de 2011, portanto há apenas quatro anos, com a intenção de promover uma democracia participativa e o fim da bipolarização PP-PSOE (binômio apelidado PPSOE), o domínio de bancos e corporações e uma maior divisão de poderes para ampliar a democracia. Como partido, ambos tem apenas dois anos de vida e contam com jovens líderes, Pablo Iglesias e Albert Rivera, respectivamente, midiáticos e com grande poder de atração da juventude e daqueles que estão enfadados da política tradicional. Ciudadanos tem sede na Catalunha (começou por se chamar Ciutatans) e teve como impulso inicial a resistência ao nacionalismo catalão. O PODEMOS nasceu do espírito do movimento dos indignados do 15-M e surgiu como dissidência da Esquerda Unida(IU), um agrupamento que reúne o Partido Comunista Espanhol (PCE), o Partido Socialista da Catalunha (PSUC), Partido Socialista de Ação (PASOC), Partido Humanista e vários coletivos trotsquistas e descendentes do stalinismo. A negação de um lugar para Pablo Iglesias disputar as eleições parlamentares europeias de 2014 obrigou a constituição do PODEMOS.
Ambos os coletivos agora recebem os milhões de votos deixados órfãos pelo desgaste do bipartidarismo. O voto no Podemos é para a maioria dos espanhóis a identificação com a esquerda radical. Já Ciudadanos apresenta-se como um partido de centro, segundo o jornal Diário de Notícias, procura o equilíbrio entre o liberalismo político e econômico e o progressismo social. Entre os seus votantes há muitos decepcionados com o PP.
    O resultado eleitoral foi devastador para o PP apesar de ser o mais votado. O editorial jornal EL PAÍS desta segunda-feira 25 de maio de 2015 traz o título “CAMBIO PROFUNDO”, ou seja, MUDANÇA PROFUNDA, para expressar o tamanho da guinada eleitoral. Isto sem considerar o fato de que duas mulheres de esquerda, Manuela Carmena e Ada Colau serão as prefeitas das duas maiores cidades, Madri e Barcelona, respectivamente. Carmena uma juíza que foi no passado advogada dos trabalhadores na ditadura de Franco e membro do PCE, Ada Colau, uma ativista dos movimentos sociais que em 2013 foi detida pela polícia nas manifestações de despejo dos que deviam as hipotecas imobiliárias.
   Também nas 13 eleições das províncias autônomas o PP perdeu todas as maiorias absolutas de que dispunha (incluindo no reduto Castilla e Leão), estando também dependente dos partidos de esquerda para saber se governa nas autonomias.
   É sem dúvida um forte abalo sísmico na política europeia que sucede ao de menor magnitude que foi a vitória do Syryza na Grécia e que prenuncia o desempenho da plataforma TEMPO DE AVANÇAR em Portugal.
   O agrupamento petista "MENSAGEM AO PARTIDO" simpatiza com a plataforma de PODEMOS e vê seu crescimento como sinônimo da esperança da renovação da esquerda.
   Oxalá estes ventos soprem por aqui, a começar pelo V Congresso do PT constituindo uma nova direção para resignificar o maior partido da esquerda brasileira.

MATA-MATA É RETROCESSO! (também na política)

  O título desta postagem é copiado da coluna esportiva do jornalista Marcos Lopes (http://blog.tribunadonorte.com.br/marcoslopes), ao analisar o fim dos pontos corridos e a volta ao velho sistema do campeonato brasileiro. No artigo ele defende a manutenção das regras atuais onde aquele time que tiver mais pontos será o campeão, como nos principais campeonatos do mundo.
  Ao perceber o início do esvaziamento dos protestos que unem a direita fascista e a imbecilidade coxinha com a máfia de branco (que vive a sonegar imposto e receber bola dos laboratórios e quer enricar por se achar mais inteligente e de sangue azul), sob as bênçãos da rede esgoto, das viúvas e filhotes da ditadura o e da máfia de preto (que vive de supersalários e quando rouba o máximo que pega é a aposentadoria compulsória), percebi que o título também se aplica a nossa democracia em construção.
  O retorno ao passado da ditadura militar ou dos governos neoliberais de Collor e FHC será nefasto aos trabalhadores e ao país. O projeto da terceirização aprovado pelos picaretas da Câmara Federal antevê um futuro cruel para as próximas gerações caso seja posto em prática, tão perverso quanto foram as décadas perdidas dos anos 80 e 90 quando prevaleceu a política de estado mínimo e lucro máximo. Reduzidos concursos públicos, salários menores, pouca ou nenhuma estabilidade e aposentadoria decente só quando morrer, é isso que os defensores do fascismo, os imbecis coxinhas e os neoliberais querem para os jovens trabalhadores.
     No último campeonato eleitoral vencemos na última rodada com gol nos acréscimos aos 48 do segundo tempo após bola na trave do adversário. E eles ficaram muito irados e quebraram todas as cadeiras do estádio. Agora saem às ruas enfurecidos e quebrando tudo, em passeatas até a sede da federação querem mudar as regras do jogo, mas vai arrefecendo a cada quarteirão.
   Sei que é triste ver pessoas que defendem o jogo democrático se juntar aos Perrela e seus heliPÓpteros (Ahh! é sim!), me indago: porque será que os coxinhas tem três times preferidos - Cruzeiro, Fluminense e São Paulo? assim como os fascitas adoram o Palmeiras e o Vasco?
   Bom, mas o campeonato segue.
   Também o governo não pode entrar numa de mata-mata, pois o jogo é de campeonato de pontos corridos, e por mais que tenha Eurico Miranda e a máfia rubro-negra com o apito do STJD (alguma semelhança com o STF?), o campeonato é longo. 
   Agora é começar a colocar a casa em ordem, pois o desempenho passado não ganha campeonato. Reconquistar sua torcida que anda longe dos estádios, exigir dos craques do ministério que façam juz às suas convocações e a presidenta deve tomar para si a responsabilidade do comando do time e não repassar a qualquer treinador. 
   O time deve estar compacto, com o sistema defesa/meio-campo/ataque atuando em bloco. Reforçar a defesa sem perder a expectativa de ataque. Atacar contra a terceirização e contra os times que se dizem aliados mas que, sabemos estão de olho em nos derrubar e ganhar o campeonato. Tomar cuidado com a máfia dos juízes e a bancada da bola; apelar para que a torcida vermelha jogue junto e incentive o time.
   Mas não dá prá ter jogadores como Levy e Kátia Abreu fazendo gol contra né?