MICARLA É A VITÓRIA DO NEOCONSERVADORISMO

A vitória de Micarla de Souza para a prefeitura de Natal em 2008 expressa o retorno dos setores conservadores da cidade com uma nova roupagem. Este resultado é fruto de muitos fatores, entre eles posso destacar alguns.
Em primeiro lugar a capacidade de aglutinar estes próprios setores conservadores. Reunir em um só palanque José Agripino (DEM),Luiz Almir (PSDB), Rogério Marinho (PSB), a bancada da Operação Impacto, os opositores de Carlos Eduardo, Vilma de Farias, os anti-petistas sadios e doentis, e reaglutinar Robinson Farias e João Maia foi mérito da sua candidatura.
Outro ponto extremamente positivo foi dar uma roupagem moderna ao conservadorismo, usando o verde ecológico. Um tema que não se choca com ninguém e que tem o apoio de todos, afinal, quem é que quer destruir o planeta? A despeito do apoio que recebeu dos setores empresariais mais poluidores e avessos ao tema.
Também foi extremamente capaz de uma campanha com estratégia de vitória, construída ao longo de anos, com disciplina e persistência.
Porém também nós do PT possibilitamos a vitória. A começar pela forma como foi composta a aliança: de cima para baixo, em Brasília, longe dos partidos. Para o PT significou em primeiro lugar um espanto e uma terrível força inercial que atropelou o processo de escolha que estava em curso m(uma prévia entre Mineiro e Virgínia). Para o PMDB uma pancada que deixou hematomas a serem curados com doses pesadas de anti-inflamatórios para superar a candidatura posta de Hermano Morais e dos vereadores.
Mas para o PSB a fratura foi exposta. Em verdade, uma rasgadura na cintura que expôs as vísceras do nosso principal aliado e partido da governadora. Não soubemos avaliar a extensão desta cisão. Rogério Marinho se recompôs com o Agripinismo e de quebra, levou outrora agripinistas juntos (Robinson e João Maia.
Também contribuiu o fato de que não conseguimos antepor ao projeto neoconservador um projeto progressista. Isto se deu pela avaliação equivocada do governo Carlos Eduardo. Micarla soube explorar o fraco desempenho do governo municipal na saúde e no saneamento básico, erros potencializados com as dengues, viroses e com as chuvas de maio e junho que desmontaram o projeto Carlos Eduardo governador em 2010.
Enquanto procuramos mostrar que Fátima era a candidata de LULA, de VILMA, de GARIBALDI, de CARLOS EDUARDO, a vitoriosa conseguia levar para a TV os mais pobres e dizia ser o candidato deles.
Os compromissos rejeitados por Carlos Eduardo com as corporações empresariais foram assumidos por Micarla. Aliada à mídia anti-petista juramentada, reacionária de sempre. A fatura vem a cavalo.
A Borboleta já voou e já voltou para São Paulo e Rio de Janeiro para fazer oposição ao projeto popular e democrático. Prepara um governo conservador qeu será refém dos apoios dos setores mais conservadores, seu sucesso dependerá de alinhar os anseios da cidade com quem lhe deu sustentação.
A nós cabe uma oposição responsável, consistente e coerente, mostrando nosso projeto de governo que cresce a cada dia em todo o país. Vamos precisar de muita unidade, mas também de competência, fundamentos, humildade e, principalmente, RENOVAÇÃO. Mais do mesmo, não DÁ!

2 comentários :

Juciê Lima disse...

Muito bom esse artigo Geraldão!

Sem dúvida não podemos esquecer a nossa parcela de contribuição para esse resultado uma vez que cruzamos os braços no meio da luta. A militância do PT só foi acordar no final da luta e ainda sim atordoada pelos raios de luz que incomodam aqueles que são recém saídos da escuridão. Agora o coelhinho (Garibalde) atordoado pelo resultado local e encantado com o número de vitórias obtido pela sua legenda no resto do país fala em candidatura própria para 2010. Correndo o risco de não estarmos unidos em 2010, facilitando ainda mais o trabalho da direita reacionária.

Anônimo disse...

Viu a notícia no blog Trapo Ferino e vim conferir. Concordo com você em gênero, número de grau.